E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou (Atos 8.38).
 

 

 

 Ü Batismo em Água

à Batismo de João, o Batista

à Batismo cristão

à Batismo espiritual

à Batismo e Aliança

à Batismo e Circuncisão

à Simbolismos do Batismo

à Modo do Batismo

à Fórmula do Batismo

à Quem deve ser batizado

à Bênçãos associadas

Ü Ceia do Senhor Jesus

Ü Pessoa de Jesus, o Messias

 
 
 
 
 

      Este é o site que proclama a voz do Espírito Santo

                   

 

    Está é uma questão que há diferença de opinião. Historicamente são três as formas principais de batismo: «A imersão», «a efusão (derramamento)» e «a aspersão».

    Alguns entendem que a palavra baptizõ no N.T., não exige só a «imersão», como exemplo, o batismo do Espírito, que também é descrito como «derramamento» (Atos 2.33). A palavra «batismo no (com) Espírito Santo» foi empregada pela primeira vez por João Batista: «Eu, em verdade, vos batizo em água, para o arrependimento, ele [Jesus] vos batizará no Espírito Santo e em fogo» (Mat 3.11; IBB). O batismo realizado por João não era por «imersão total», segundo o que se entende, a água era derramada sobre a cabeça da pessoa. E não por imersão total como pensávamos antes. O batismo de João era, digamos, totalmente diferente do batismo cristão, o qual era por imersão total.

   Por outro lado, a maioria dos estudiosos do N.T., concorda que o significado essencial do verbo baptizõ é «imergir», ou «submergir». Por isso, a «imersão total» é reputada como a ordem própria, a qual se adapta à prática Neotestamentária (Atos 8.38, 39); e expressa a realidade do sepultamento com Cristo (Rom 6.4; Cl 2.12).

   João Batista ao se dirigir à multidão expressava que a sua missão, era tão somente, batizar em água para o arrependimento, enquanto que o Messias viria para batizar com um batismo diferente, isto é, no Espírito Santo e em fogo. Subentende-se, que na linguagem de João, o «batismo no Espírito Santo» era como se Jesus «mergulhasse» a pessoa no Espírito Santo, no poder sobrenatural, no sentido de ser repleto do Espírito Santo. É verdade também que ser batizado no Espírito Santo é o mesmo que ser cheio do Espírito Santo (Atos 2.4; 9.17) e, ainda é chamado de «revestimento de poder» (Luc 24.49; Atos 1.8). É chamado de «batismo» para lembrar a profecia de João Batista. Como se observa, não podemos tomar a palavra «derramamento» do Espírito como preceito para justificar que o batismo em água pode ser realizado por «derramamento» (efusão) de água sobre a pessoa, como modo de  batismo. O batismo de João, conforme já visto, era por derramamento, mas o cristão não. O derramamento do Espírito Santo conforme é descrito na Bíblia, não é um derramamento no sentido literal da palavra, por isso, não se pode tomar tal termo e interpretá-lo literalmente, é uma  experiência muito mais profunda do que um simples «derramar» (Atos 2.17-20). Outro  exemplo, é que  o «batismo em fogo» não é «derramar» fogo sobre o indivíduo. Como já vimos em outra ocasião, o batismo em fogo é para aqueles que rejeitam o Evangelho de Cristo, visto que serão «lançados», «imergidos», «mergulhados», «batizados» no Lago de Fogo e enxofre. Então, o significado essencial e correto do verbo baptizõ é «imergir», «mergulhar» e não «derramar».

   O batismo por aspersão começou a ser realizado no século II, principalmente nos casos de batismos clínicos, isto é, para aquele que já estavam próximo da morte e desejavam o batismo cristão.

   Evidentemente à base da definição do batismo, já mencionado, o batismo cristão é a completa imersão ou submersão em água, não um mero derramamento ou aspersão de água sobre a pessoa; os próprios exemplos bíblicos de batismos confirmam este fato. O eunuco etíope pediu para ser batizado quando chegara a certo lugar onde havia água (Atos 8.36). «Ambos desceram à água» (Filipe e o eunuco), e depois ambos saíram da água (8.38,39). Fica subentendido, que o eunuco não foi batizado numa poça de água e nem numa pequena lagoa cuja água dava até os tornozelos, mas era um grande corpo de água, de modo que tiveram de andar para entrar e sair. Além disso, o batismo cristão é o símbolo da morte, sepultamento e ressurreição de Jesus Cristo. Isto indica a «submersão completa», enquanto, que o batismo por aspersão e por derramamento, nada tem a se identificar com a morte, sepultamento e ressurreição de Cristo; afinal, que simbolismo apresenta?

          O Batismo deve ser feito em água corrente?

   Para muitos tanto faz o batismo ser realizado em água corrente ou não, outros são a favor da água corrente. Necessariamente, o batismo deve ser feito em água corrente, pois assim, geralmente era realizado o batismo nos dias do N.T. De modo já visto, a lavagem interna é simbolizada pela lavagem externa, sendo assim, é necessário que o batismo seja realizado em água corrente. O batismo em tanque ou em lagoa artificial, deve ser feito em último caso. Por exemplo, quando em um determinado lugar não existir um rio, ribeirão, ou riacho adequado para o batismo, ou ainda por qualquer outro motivo, que seja plenamente justificável. Para o batismo realizado no tanque se exigi uma oração específica, isto é, deve ser feita uma oração específica para uma purificação simbólica da água, antes de cada um ser batizado, ou seja, toda vez que alguém for batizado deve se fazer uma oração, conforme já foi dito. Esta oração é necessária, para que a água simbolicamente esteja limpa, pura, uma vez que o batismo também simboliza a «lavagem dos nossos pecados» (At 22.16; Tito 3.5); não se pode dar banho em alguém com água suja!

   Quando uma pessoa fisicamente impossibilitada, ou ainda prestes a morrer, quiser ser batizada, pode ser feita uma unção com azeite puro de oliva, em substituição ao batismo, invocando o Nome de Jesus Cristo sobre a pessoa e, com palavras voltadas ao rito batismal. É uma unção específica para o ato do batismo, ou melhor, em substituição ao batismo, por isto este tipo de unção tem que ser feito na coroa da cabeça da pessoa, como simbolismo que envolve todo o corpo. Este tipo de unção requer que seja literalmente derramado o azeite da unção sobre a coroa da cabeça da pessoa, e não apenas uma unção simbólica. Acima de tudo, a pessoa a ser batizada precisa «crer» que este tipo de unção substitui neste caso a imersão, senão tal pessoa precisa ser batizada em água. É um batismo de última hora (Rom 14.23; Heb 11.6). A unção somente é válida como substituta do batismo, quando estiver de acordo com o que foi escrito acima.

   Em Resumo:  O batismo realmente cristão é aquele que é realizado por «imersão», «mergulho», em que compreende a «imersão-morte», «submersão-sepultamento» e «emersão-ressurreição» (Rom 6.3-11; Col 2.12). Necessariamente em água corrente, somente deve ser feito em tanque ou lagoa artificial de acordo com tudo aquilo que já foi dito acima, o mesmo se diz sobre a unção.

    

                      

                             

   

        

Voltar ao topo da página

    

 

   http://www.doutrinasbiblicas.com

 By:  David Pereira Tiburcio Filho