Em ti me alegrarei e saltarei de prazer; cantarei louvores ao teu nome, ó Altíssimo (Salmo 9.2).
       

                 

                           

       
   
 


 

  » Batismo de João
  » Batismo cristão
  » Batismo espiritual
  » Batismo e a aliança
  » Batismo e a circuncisão
  » Simbolismos do batismo
  » Modo do batismo
  » Fórmula do batismo
  » Quem deve ser batizado?
  » Bênçãos associadas
 
 
  » Páscoa judaica
  » Vinho da ceia pascal
  » Páscoa do mês de Zive
  » Festa dos pães asmos
  » Circuncisão e pur. cerimonial
  » Páscoa e Santa Ceia
  » S. Ceia como ordenança
  » Instituição da Santa Ceia
  » O pão e o vinho da S. Ceia
  » Data da celebração S.Ceia
  » Examinando a si mesmo
  » A santificação na S. Ceia
  » Discernindo a Santa Ceia
  » Participantes da Santa Ceia
  » Sua importância para nós
 
 
  » O Messias prometido
  » O "Logos" encarnado
  » A encarnação do "Logos"
  » A Sua origem celestial
  » Foi Ele homem e Deus?
  » Sua autêntica humanidade
  » Encarnação e limitações
  » Poderoso p/ perdoar pecados
  » Seu aperfeiçoamento
   
   

                       
     

                                                      

                          

      

       É uma imensa felicidade em podermos transmitir a você a Palavra do Único e Verdadeiro Deus. Primeiro agradecemos ao Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, por ter perdoado os nossos pecados, e nos deste poder de sermos chamados filhos de Deus (João 1.12); e por ter nos incumbidos a uma tão grande missão, que é o de anunciar e ensinar a Sua Palavra.          

     A você leitor, seja bem-vindo a este site. Convido-o para que leia, examine, medite e coloque em prática, as doutrinas bíblicas que ensinamos. Os estudos que ministramos, não são frutos de nossas mentes, ou seja, uma idéia totalmente nossa. Usamos as obras de grandes estudiosos das Escrituras, o qual muito tem contribuído com  informações lingüísticas, culturais, históricas, textuais, etc. Confira estas obras na página intitulada "referências bibliográficas". Mas além destas obras que  usamos, reconhecemos  e expressamos que a nossa maior Fonte de todos os ensinamentos bíblicos, é o Espírito Santo. Ele é o inspirador das profundidades espirituais, sem Ele não escreveríamos nada! É lógico, que tudo isso também dependeu de um imenso esforço da nossa parte, quem inclui a  oração, a  fé, o  amor, a leitura bíblica, a meditação, a santificação e a comunhão espiritual e mística com Cristo, pelo Seu Espírito e, a obediência e prática em tudo o que Espírito Santo nos ensina. Portanto, tudo o que nós ensinamos, também praticamos, não somos fariseus, mas servos de Jesus Cristo.

   Os ensinamentos que transmitimos visa à explanação das verdades bíblicas. E estas verdades não podem continuar ocultas, precisam ser trazidas à luz. O cristão honesto, interessado em conhecer os ensinamentos bíblicos, do modo que eles são, sem atender aos seus apelos denominacionais e tradicionais, está convidado a ouvir o que o Espírito Santo têm nos ensinado.

    Quando recebemos um ensinamento, diferente daqueles que costumeiramente temos aprendido, e que confronta com a nossa crença, a primeira coisa que fazemos é criticá-lo, desprezá-lo e declará-lo como antibíblico, falso, herético. Isso tudo fazemos sem ao menos examinarmos tal ensinamento. Costumamos atacar todas as doutrinas que contrariam as nossas crenças, sem o cuidado de analisarmos devidamente os fatos. Estes não são fatores que determinam a validade de uma certa doutrina, nem podem ser, o que valida ou não uma determinada doutrina, é de testá-la à luz das Escritura Sagradas, segundo a orientação do Espírito Santo. Paulo disse: «Julgai todas as cousas, retende o que é bom; abstende-vos de toda forma de mal» (1Tessalonicenses 5.21, 22). Outrossim, o que também não podemos, é colocar uma "muralha" em volta do Espírito Santo, com o propósito de "limitar" a sua operação e a sua influência. Sempre se houve alguém dizer; "o Espírito Santo não pode fazer isso ou aquilo!", como se o Espírito Santo fosse obrigado a obedecer às regras que criamos em torno do nosso frágil conhecimento acerca da sua obra; esse método de testar ou julgar a operação do Espírito Santo, é consideravelmente errado, é verdade que também não podemos aceitar tudo que acontece como sendo obra do Espírito Santo. Para isso, a Bíblia nos orienta, a buscarmos os dons espirituais, nesse caso, o dom do "discernimento de espíritos" (1 Cor 12.10).

      A Voz do Espírito Santo, transmitida através de seus ensinamentos, deve ser obedecida. O Batismo em Água e Santa Ceia, que agora estão sendo ensinadas através da Internet, a qual foram escritas há dois atrás (em apostila), evidencia o cuidado de Cristo para com a sua Igreja. Jesus Cristo está prestes a levar a Sua Igreja, mas para isso ela precisa estar devidamente preparada para subir. Dentro desses propósitos, o que estamos fazendo ao ensinar a Sua Palavra é de simplesmente obedecer e colocar em prática a missão que Ele tem nos chamado há alguns anos atrás, e que tudo está acontecendo dentro dos planos divinos.

    Se realmente somos verdadeiros cristãos, então, precisamos ensinar e viver aquilo que a Bíblia nos ensina. A Nossa fé não pode estar baseada em tradições de homens, nem em alguns trechos isolados da Bíblia, com se isso fosse toda a verdade. Também não podemos "basear", "adaptar" e "acomodar" às Escrituras às nossas crenças, mas as nossas crenças devem estar baseadas nas Escrituras. Temos que dar o devido respeito para com as Escrituras Sagradas, e esse respeito é o resultado de uma interpretação correta daquilo que elas nos ensina. Não basta andarmos com a Bíblia debaixo do braço ou até mesmo ensinarmos-á, mas se ela não fizer parte de nossa vida diária, no que tange aos seus ensinos morais e espirituais, estaremos enganando a nós mesmos, alimentando apenas uma grande ilusão, um grande fracasso. Os cristãos, de modo geral, defendem a leitura bíblica, bem como a sua prática,  isto é muito bom é necessário. No entanto, os ensinos bíblicos de nossos dias são expostos de modo bem reservados, e não há um avanço no conhecimento, pois tudo se resume em determinados assuntos, e não passa disso. E nisso as pessoas não crescem espiritualmente, os seus conhecimentos e a sua conduta moral e espiritual ficam estagnados.

    A Igreja não pode estar se alimentando apenas com leite, como um infante, todavia, ela tem que estar sendo  alimentada com o "alimento sólido" (1Coríntios 3.1, 2). O apóstolo Paulo disse em Efésios 4.11-15; dessa maneira: "E ele [Cristo] mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, até que cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não sejamos mais como meninos, agitados de um lado para outro, e levado ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro. Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é o cabeça, Cristo". Estas passagens bíblicas nos ensinam a necessidade que temos de crescer em Cristo. Ao meditar nestes textos, o amado leitor poderá subtrair deles o maravilhoso destino dos remidos, o glorioso ensino sobre a nossa transformação moral e metafísica; “... até que cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da plenitude de Cristo...". Estas palavras são profundíssimas, este é o processo da nossa glorificação. A nossa transformação segundo a imagem de Cristo (vede acima), não é ensinada pela Igreja atual, mas nós, sob a sabedoria e o poder do Espírito Santo, no tempo oportuno estaremos ensinando-a.  

     São tantas as interpretações bíblicas em nossos dias, que fica quase impossível de sabermos qual  delas é a correta. Pois cada seguimento religioso têm basicamente as suas próprias interpretações acerca de determinados textos bíblicos. Todas as denominações, na verdade, ensinam os seus trechos favoritos, mas desprezam outros trechos, quando estes não se harmonizam com os seus credos. Verdadeiramente a Bíblia  não é seguida  como uma "única regra de fé", como propagam.

    Outro ponto importante a ser salientado é o seguinte:  Muitas pessoas tem consultado e confrontado com a Bíblia o que estamos ensinando e tem chegado a realidade de que tais ensinos estão realmente corretos. Mas ocorre, porém, não sabemos como e com que sinceridade elas ainda permanecem "teimosamente" nas suas antigas doutrinas, que pouco têm de respaldo bíblico. Muito acham que o ensino que transmitimos é muito difícil de ser seguido. Mas é claro que é realmente difícil seguir a verdade que o Espírito Santo nos ensina quando estamos acostumados a seguir "meia verdade", aquilo que queremos que seja, que os homens pensam, tendo cuidado de satisfazer nossa vontade e não a vontade de Jesus Cristo e da Sua Palavra. Aqueles que assim pensam é porque realmente ainda não sentiram o gozo da salvação e desconhecem a Palavra de Deus. Seguir a Cristo não é tão difícil, mas também não é tão fácil. Seguir a "fé" verdadeiramente cristã não é uma crença fácil. Todo homem procura fazer o que mais lhe agrada, mas se quisermos ser verdadeiros discípulos do Senhor Jesus Cristo, então devemos fazer o que Ele nos manda, pois é para o nosso próprio bem (ver João 14.15,21; 15.10). Os mandamentos de Deus não são pesados (1 João 5.3). Vejamos o que Jesus disse aos seus discípulos: «Entrai pela porta estreita (larga é a porta e espaçoso é o caminho que conduz para a perdição e são muitos os que entram pro ela), porque estreita é a porta e apertado é o caminho conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela» (Mateus 7.13,14). Realmente se procura o caminho mais fácil, o que é mais agradável, a porta larga, mas o final é a perdição. A "porta" e o "caminho" que representam o Senhor Jesus Cristo são poucos que o procuram. Disse Jesus ainda: «Em verdade, em verdade vos digo: O que não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, esse é ladrão e salteador» (João 10.1). «Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará e sairá e achará pastagem» (João 10.10 ver João 14.6). Se achamos difícil os mandamentos de Jesus Cristo e relutamos por seguir os nossos ideais, denota que não há em nós algum interesse para com Cristo e nem ao menos com a nossa salvação. Muitos podem até inventar algumas desculpas dizendo que não seguem o que estamos transmitindo porque é difícil de ser seguido, tudo porque não querem abandonar os seus dogmas, as suas tradições, entretanto, estão enganando a si mesmos, pois ao Deus Santo ninguém engana! O problema pior fica para a liderança denominacional; um pastor (estou fanado daqueles que não tem compromisso com a Verdade), por exemplo, relutará o máximo possível para não aceitar o que estamos ensinando, não porque não concorda com tais ensinamentos, mas é porque ele tem medo de perder a sua posição, o seu cargo. Quando alguém tem medo de perder o seu cargo para a uma outra pessoa, trabalhará incansavelmente para afastar tal pretenso, se possível até tirar-lhe a vida. Jesus Cristo enfrentou semelhante oposição por parte dos fariseus, dos saduceus, das autoridades religiosas judaicas, que não aceitavam o que Jesus ensinava, por medo de perderem a sua posição, que era na verdade o resultado de uma "inveja" incontrolável, maligna; até que por fim acusaram por ter proferido palavras de blasfêmia contra César, incitando também a multidão a participarem dos seus atos malignos, preferindo a liberdade do perverso Barrabás e a crucificação do Santo Jesus de Nazaré (Mat 21.16; 26.59; 27.1,2,20; Mc 11.18; 15.10-15, etc.). Sabemos que os responsáveis pela crucificação do Senhor Jesus, foram na verdade as "santas" autoridades religiosas de Israel, as quais deveriam na verdade, zelar pelo bem espiritual do povo e instruí-lo na verdade. Veja a declaração de uma liderança cega pela inveja: «Eis aqui o vosso rei. Mas eles bradaram: Tira, tira, crucifica-o. Disse-lhes Pilatos: Hei de crucificar o vosso Rei? Responderam os principais dos sacerdotes: Não temos rei, senão César» (João 19.14, 15). Observe a altitude das autoridades religiosas de Israel, o medo que tinham de perder o seu lugar para Jesus: «Depois os principais dos sacerdotes e os fariseus formaram conselho, e diziam: Que faremos? porquanto este homem faz muitos sinais. Se o deixamos assim, todos crerão nele, e virão os romanos, e tirar-nos-ão o nosso lugar e a nação» (João 11.47,48). Estes homens não estavam preocupados com verdade, não sentiam qualquer compaixão pela causa do Deus Vivo, eram apenas invejosos, egoístas, gananciosos, enganadores, amantes do que é detestável e imundo, inimigos dos homens e de Deus. Este tipo de gente parece até ser piedoso, mas no fundo não passam de uma das maiores espécies. Essa falsa piedade somente é descoberta quando a alguém confronta os seus ensinamentos. Uma das piores coisas que aconteceu entre as autoridades judaicas, é que elas eram cegas espiritualmente, e que infelizmente também transmitiram essa cegueira para multidão. A verdade é que, uma liderança profana e mundana, transmite ao povo essas qualidades negativas. Ao passo que uma liderança santa e honesta, transmite ao povo valores espirituais eternos. De tudo isso que temos visto o que queremos deixar bem claro a você querido irmão, é que você deve respeitar e obedecer ao seu pastor quando este na verdade é um fiel seguidor de Cristo, caso contrário, você não tem nenhuma obrigação em obedecê-lo. Não se preocupe com as ameaças que fazem, para que sejam respeitados e temidos, como: «não toques no ungido do Senhor!». Isso somente é verdade para aqueles que realmente foram chamados pelo Espírito Santo, que estão incluídos em Efésios 4.11. Isto é válido para aqueles que receberam "os dons ministeriais" por parte do Espírito Santo e, não para aqueles que receberam os "ministérios profissionais" dados pelos homens, não se deve confundir estes dois tipos de ministérios, ambos são realmente opostos. Para sua segurança espiritual, você deve seguir o que o Espírito Santo ensina em Sua Palavra, ainda que o seu pastor queira te ensinar ao contrário. Tenha o cuidado de não fazer como a multidão que crucificaram o Senhor Jesus Cristo, porque foram iludidos por seus líderes, que eram invejosos. Lembre-se, de que os líderes judeus reconheceram em Jesus como alguém que era santo, operador de milagres, poderoso para ensinar, por isso sentiram inveja dEle, mas preferiram tomar outro caminho, o da desobediência, do engano, da maldade, do pecado, do diabo. Estes mesmos tipos de procedimentos continuam vivos em nossos dias. Líderes tem examinado aquilo que estamos transmitindo pela sabedoria do Espírito Santo, no entanto, se qualquer respeito com a Palavra de Deus e sem qualquer senso de espiritualidade tem criticado tal obra e incitado a igreja de que ela não é Bíblica. Porém, ninguém apresentou algo contrário de tudo que já temos passado ao povo, ou seja, é fácil dizer de que alguém não está ensinando o que Bíblia diz, o difícil mesmo é provar biblicamente de que tal ensino é falso, herético. O que o Espírito Santo quer, é que você examine atentamente o que está sendo ensinado neste site, que você abra bem a sua mente para que Ele possa trabalhar em você, te ensinar, te instruir, te espiritualizar, renovar a sua vida e o seu ser!    

    De nada adianta dizermos que amamos a Deus, mas se rejeitamos os seus mandamentos. Portanto, se alguém não segue os ensinamentos bíblicos, como estamos ensinando, os quais podem ser comprovados mediantes verificações bíblicas, então, como esse alguém pode comprovar que a sua crença é realmente cristã, como pode dizer que segue a Cristo se não obedece a Sua Palavra? Se é ensinado o que Bíblia diz e este ensino é desprezado o que adianta então tal pessoa ter uma Bíblia? Que coragem ainda tem esta pessoa em tentar defender e ensinar uma coisa que ela mesma despreza? Infelizmente é isto mesmo que tem acontecido! Se a Bíblia é a nossa regra de fé e conduta, devemos então segui-la, se assim não for, é melhor ser sincero e declarar que não seguimos realmente a Bíblia, mas as tradições e os dogmas da nossa denominação. Sendo assim, a Bíblia não é mais do que qualquer livro, que serve apenas para dar mais um empréstimo à nossa crença e não que ela representa uma autoridade, uma regra a ser seguida. Aqueles que rejeitam os ensinamentos bíblicos, não aceitam é porque seguem e pautam por essa conduta.  

     Por isso, o nosso conceito é este, você crê na Bíblia? Sem você crê, então é bom ir se preparando, porque as novas verdades bíblicas (isto é, são aquelas doutrinas que são desconhecidas pela Igreja, ou àquelas que são diferentes das que são ensinadas atualmente) estão (e estarão) sendo expostas de uma maneira maravilhosa, de maneira que ninguém viu em nossos dias, não só em nossos dias, mas, há muitos séculos atrás. Por causa dessas verdades bíblicas, temos sido bastante criticados, sem contar com os grandes debates que temos tido. É interessante que todas as pessoas que tem nos criticado e desprezado em primeira instância os ensinos que fazemos, são aquelas que dizem em crer e seguir a Bíblia. Mas enganados estão, todos aqueles que tem um espírito com estes, de se levantar não contra nós, mas contra o Espírito Santo e a sua Palavra. A Palavra é dEle é não nossa. Por isso as doutrinas que estamos ensinando não são para levantar alguma "denominação", nem somos contra as denominações existentes, ao contrário, os ensinos que ministramos, têm como o principal propósito em levar as almas para Cristo, pois Ele é tudo para nós, é nEle que vivemos e existimos (Atos 17.24-28). Estamos cientes, de que as críticas virão, e de que o nosso arquiinimigo (o Diabo e os seus subordinados), tenta impedir para que a nossa missão não seja levada adiante. Mas, em Nome de Jesus Cristo, estamos preparados para qualquer confronto. Por outro lado, vemos pela fé inúmeras pessoas aceitando a Cristo como Seu Salvador pessoal, e Sua Palavra como a única regra de fé e conduta. Por isso concluímos que, novas verdades bíblicas, não podem ser rejeitadas por aqueles que realmente crêem na Bíblia e nas revelações que o Espírito Santo dá. Tudo o que ensinamos é bíblico, e não frutos de nossas mentes. Reiteramos o que dissemos no início, antes de você desprezar estas novas verdades bíblicas, leia atentamente, comparando-as com a Bíblia, peça ao Espírito Santo para que Ele te ilumine a sua mente, deixe os preconceitos de lado, seja honesto com a Bíblia e consigo mesmo. Não troque as novas verdades bíblicas pelas tradições dos homens. Faça o que Bíblia realmente diz. Lembre-se que estamos à sua disposição, temos um imenso prazer em poder te atendê-lo, é somente entrar em contacto conosco.

    As Doutrinas bíblicas não param por aí, brevemente estaremos ensinando outras doutrinas bíblicas necessárias para a preparação da Igreja de Cristo. E você é o nosso convidado especial para aprender e praticar as Doutrinas Bíblicas, como elas realmente são, da maneira que o Espírito Santo nos ensina.

                                

                           

            

       

 

                                                                                                                             

                       
                                                                                                                    Voltar ao topo da página

 
 

Página inicial | Quem somos | Fale conosco | Introdução | Bibliografia
 

By: David Pereira T. Filho